O Filho no Comando

Publicado por Mirela Pinho
Em:

Filho ensina o pai a velejar no RGYC

É natural que os ensinamentos sejam passados de pai para filho. Mas não é o que vem acontecendo no RGYC. Nas tardes de sábado, na Escola de Vela João Hugo Altmayer, o velejador Fernando Rocha, 15 anos, é o braço direito do instrutor Ari Soares Lima nas aulas da Escola. Mas o desafio agora é não somente auxiliar, mas ensinar o seu pai Rafael Marasciulo Rocha, de 39 anos, a aprender a velejar. Rafael foi entrevistado pela Comunicação do RGYC e nos conta como foi essa experiência.

1- Rafael, teu filho, o Fernando, veleja faz anos. Em quem ele se inspirou ou quando surgiu o despertar dele para a Vela?
O Fernando começou a velejar em um dia que estávamos andando de lancha e quando chegavamos ao clube as crianças da escola de vela estavam indo pra água, minha esposa, Ana Paula, ofereceu para ele participar da aula mas ele não quis. Ela insistiu e ele disse que iria no bote, pois segundo ele velejar não tinha graça e era muito devagar. O professor na época era o Ângelo e quando terminou a aula meu filho já voltou velejando em um Optmist da escola. Ele se apaixonou pela vela, tinha 10 anos.

2- Hoje, ele está com quantos anos?
Hoje o Fernando está com 15 anos, fez dia 17 de janeiro.

3- Nas aulas de sábado que o Fernando começou a te ensinar a velejar? Como surgiu essa vontade de aprender?
Eu sempre estive envolvido com o mar, mas sempre em barcos a motor, possuo lancha. O Fernando desde que começou a velejar tenta fazer com que eu compre um veleiro oceano, mas eu sempre relutei. Mas vendo o esforço dele e lembrando de toda a trajetória que ele vem fazendo na vela, desde o início tumultuado até o reconhecimento do clube convidando-o a dar aulas de Vela junto com o Ari para a Escola, isso tudo acabou me despertando a vontade de aprender a velejar em monotipos.

4- Como é aprender a velejar com o seu próprio filho? Qual lição tiras disso?
O interessante de aprender a velejar com ele é que naturalmente os pais ensinam seus filhos, e neste caso ele está me ensinando, isso é uma lição de humildade tanto pra mim quanto pra ele. Eu não sei tudo e ele conseguiu entender que apesar de sermos mais velhos sempre temos algo a aprender com quem nem imaginamos. Portanto isso que ocorreu hoje é um crescimento como pessoa pra mim e pra ele, onde eu deixo de ser o pai e passo a ser um aprendiz, e ele o mestre.

5- Na tua opinião, o que o RGYC simboliza nesse aprendizadocom teu filho?
O Yacht sempre foi o clube do meu coração, estive afastado muitos anos por morar em outra cidade, mas me sinto extremamente contente em poder proporcionar a minha família esse ambiente maravilhoso, onde os funcionários nos tratam como se fôssemos da família, o João, o Vilsão e o Bila. Eles cuidam do Fernando desde que ele começou a velejar como se fosse filho, não conheço outro local que nos proporcione isso. Sou muito grato a esse clube.

 

Comentários

comentários