REMADA PORTO REI

Publicado por Mirela Pinho
Em:

Com a participação de 39 remadores, que largaram do Rio Grande Yacht Club (RGYC), a Remada Porto Rei que ocorreu no último sábado (07) tinha como destino o Porto Rei, localizado na Ilha dos Marinheiros, mas durante a travessia o passeio contou com muitas paradas para banhos e muita interação entre os esportistas.

 

Para o organizador e velejador, Lúcio Ribeiro, o passeio foi total sucesso e o próximo já tem data marcada. “No final de semana 21 de abril vamos fazer outro. Todos que amam esse tipo de curtida estão convidados” afirma. Lúcio comenta que promove passeios como esse, a fim de integrar o pessoal, oportunizar lazer e união entre as famílias. Lúcio ainda enfatiza a importância de popularizar a náutica. ” Passeios como esse ocorrem em sua maioria, no outono, já que o vento diminui. Mas durante o ano conseguimos realizar pelo menos 20 encontros” explica.

 

PALAVRA DE QUEM VIVENCIOU:
PRIMOS E AMANTES DE ESPORTES NÁUTICOS COMENTAM SOBRE O PASSEIO

 

Primos e velejadores desde pequenos, o ortodontista, Matheus Resmini, e o arquiteto Rafael Granthan, falam para a Comunicação do RGYC que aprenderam a velejar e ter contato com o mundo da vela e esportes náuticos no Clube. Matheus começou aos 10 anos, quando iniciou na escolinha de Vela do Yacht, na classe Optimist passando para a Pinguim e a classe Oceano. Já Rafael não foi muito diferente. Desde os 8 anos, aprendeu a velejar também na escolinha e desde ali teve oportunidade de disputar regatas dentro e fora do país. Os dois comentaram das lembranças boas daquela época e amizades que duram até hoje. Rafael completa dizendo que teve a honra de ser professor, da escolinha, no final dos anos 90.

 

Para eles o passeio foi revigorante já que gostam de remar e curtir todos os esportes que podem ser feitos na água. Também afirmam que sempre que existe oportunidades de passeios e regatas procuram participar. Rafael explica que já está integrando sua filha com o mundo náutico. ” Estou vivendo uma nova fase, a de incluir minha filha pequena na cultura do mar. Essa cultura me oportunizou, desde pequeno, a ter um ótimo senso de responsabilidade e respeito com as pessoas e a natureza. Além disso a disciplina, para se conseguir chegar nos destinos que traçava, devo muito a tudo que aprendi com esse esporte ” afirma o arquiteto.

 

De acordo com Matheus Resmini, o apoio do organizador do evento, Lúcio Ribeiro, é muito importante em especial para aqueles que não tem experiência.” Informações sobre a maré, direção do vento e como se comportar na prancha são essenciais para esse tipo de travessia e Lúcio ensina e tranquiliza a todos sobre isso. ” comenta. Mateus ainda completa dizendo que faz uns 6 anos que curte passeios como a Remada em sua prancha. “Tem muitos locais na lagoa que o barco não chega e fica legal de explorar no remo” explica.

 

Já Rafael Granthan, fala que é importante oportunizar as pessoas, que vivem em nossa cidade, este tipo de situação. ” Precisamos valorizar mais a nossa orla e aprimorar a percepção de quem vive aqui.” afirma. Além disso Rafael comenta que Rio Grande é um ótimo pólo para esportes náuticos, onde se pode encontrar no mesmo dia, os mais diversos níveis de dificuldade e categorias a serem praticadas. “Com ventos constantes, um pôr do sol magnífico e um grande clube para nos resguardar, é muito fácil aprender a gostar do mar na nossa região” finaliza.

 

 

Comentários

comentários