Temporada de Travessias

Publicado por Mirela Pinho
Em:

Cumelen, Canopus, Manan e Chaval atracam no RGYC

Com destino a Florianópolis (SC), os comandantes dos veleiros argentinos Cumelen, de Buenos Aires (Argentina), e Canopus, da Puerto Madryn (Argentina), contam um pouco do trajeto que estão realizando. Eles chegaram ao Rio Grande Yacht Club (RGYC) na última sexta-feira,18, acompanhados de mais dois barcos Manan e Chaval.

+Cumelen

O comandante Luis Perazzo e seu amigo velejador Juan Cobo,realizam o trajeto Buenos Aires (Argentina) – Florianópolis (SC) faz seis anos. “Este mês é o sexto janeiro consecutivo que passamos por aqui com destino a capital catarinense” comenta o capitão. A viagem deve-se a visita as maravilhosas praias do litoral do Brasil. Mas, nessa subida pela costa brasileira, os dois almejam um pouco mais, e seguirão até o Caribe e após, Estados Unidos. Os dois amantes do mar navegaram até o Rio de Janeiro, como destino mais longe de sua terra natal, no ano passado.
Luiz Perazzo aprendeu a velejar em San Isidro (Argentina) há doze anos. Ele é agente de viagens e por isso a paixão por novos ares. Já o amigo,Juan Cobo,é astronomo aprendeu a velejar em La Plata, na Universidade Nacional de La Plata. Os dois velejam pelo Sul da Argentina, Mar del Plata e Uruguai.
Quando questionados pela Comunicação o que gostam do RGYC, eles prontamente respondem: as pessoas.
“Me dá gosto de vir aqui. Temos amigos. O Ricardo Loureiro e o Guto são velejadores muito queridos e velejamos muito com eles quando estamos pelo Yacht” comenta Luis.
Cumelen é um desenho do projeto de Nestor Volker, de 1990 e possui 27 pés.

 

+Canopus

O capitão da embarcação Canupus, Segundo Cerrato, conta que é a primeira vez que sai da navegação do Clube Náutico Atlântico Sul (CNAS), localizado em Puerto Madryn. Veleja desde 2009 mas só em 2015 adquiriu o Canopus. Ele conta que objetivo, depois de chegar a Florianópolis e se encontrar com a esposa e os filhos que o aguardam, é conhecer o Saco da Ribeira (SP) e Angra dos Reis (RJ). Depois retornar.
Segundo está acompanhado de seus amigos e velejadores Federico Garreta e Oscar Draganczuk. Eles contam que foram muito bem recebidos no RGYC. “Estamos muito contentes e agradecidos. Aqui podemos descansar, fazer a manutenção do barco, tomar cerveja e conversar com todos” comenta o comandante enfatizando a beleza do Clube. Segundo, ainda frisa que gostaria que o RGYC tivesse um convênio com o Clube Náutico Atlântico Sul para que pudesse desfrutar do Yacht e proporcionar aos velejadores daqui o mesmo.” Nosso Clube é pequeno. Para acessarmos nossos barcos vamos em uma lancha pois não temos trapiche.Mas temos 400 sócios e o lugar é muito lindo, está dentro de um Golfo localizado na Patagônia” finaliza.
O Canopus é um Sray de 26 pés. O projeto é de Roberto Rovere e foi remodelado na Argentina.

 

O RGYC deseja bons ventos a esses amigos das águas.

Comentários

comentários